Gisele Bundchen, Baz Luhmann e o clássico Chanel no.5

 image

O perfume Chanel no. 5 é um clássico. Desde que a Coco Chanel lançou em 1921, está fragrância deliciosa, que tem como matéria prima a baunilha, foi quinto aroma a ser lançado pela estilista e apresentado aos amigos de no dia 5 de maio. Por ser seu número de sorte o perfume ganhou este nome eterno. imageCoco dizia que o Chanel no.5 foi produzido com o cheiro da mulher. Milhares de celebridades e socialites amam este perfume como se ele fosse o único existente no mundo. Mas vamos combinar: ele tem um diferencial que ninguém sabe explicar, se é ou não o cheiro de mulher, apresenta um glamour, uma sofisticação, uma elegância que somente Coco Chanel poderia passar em um vidrinho. image

Celebridades como Marilyn Monroe, declarou certa vez que dormia todas as noites vestida apenas com duas gotinhas deste perfume mágico e infelizmente quando se suicidou, estava cheirando a este delicioso perfume.

De 1921 a 2014 já com um século de vida o Chanel no.5 nunca saiu de moda. Ele é um perfume regular, com sua fórmula escondida, mesmo todo mundo sabendo que sua matéria prima é a baunilha. Várias celebridades já fizeram anúncios deste maravilhoso perfume, até Brad Pitt anunciou o Chanel 5. A penúltima foi Nicole Kidman e agora,  a nossa estrela maior, a brasileira Gisele Bundchen em parceria com o diretor Baz Luhmann, o criador do filme Moulin Rouge, Karl Lagerfeld, designer chefe e diretor criativo da grife, formaram uma linda parceria para sempre deixar o perfume preferido da marca em evidência.

image Uma grande festa de lançamento foi realizada está semana, em Nova York, para apresentar o filme de três minutos onde Gisele interpreta magistralmente uma mulher moderna, surfista, mãe e apaixonada por uma marido que supostamente a abandona, mas nada que umas gotas de Chanel no.5 não resolva.   O pequeno filme está lindo e vale super a pena perder três minutos se divertido com um belo anúncio, muito bem produzido e com uma música de encantar os ouvidos. Abaixo veja algumas fotos da festa e ainda o filme completo que já virou um viral em todo o mundo.

  image imageimageimageimage

Anúncios

Dia Mundial da Alimentação – Watch Hunger Stop

10710689_1514602555455067_6079293397553292406_n

 

Está acontecendo na Europa e Estados Unidos a Campanha Watch Hunger Stop, para chamar atenção do Dia Mundial da Alimentação, que acontece no dia 16 de outubro.

O estilista Michael Kors criou uma limitadíssima linha de relógios, com venda revertida para distribuição de refeições no mundo.

Tudo está sendo feito em parceria com a ONU. A cada relógio vendido no valor de R$1.250,00 consegue alimentar cerca de 100 crianças.

Top models e a atriz Hally Berry estão participando da campanha, emprestando seus belos rostos para embelezar a Watch Hunger Stop.

Nova coleção de Versace SS 2015 abala Milão Fashion Week

image

O desfile de Versace hoje no Milão Fashion Week abalou as estruturas de quem viu. Foi super disputado por celebridades que não queriam perder a nova criação de Donatella Versace.


Realmente estava lindo. Vou publicar alguns vestidos. Mas quem qcessou hoje a fan page pode ver um filminho, do desfile e mais tarde vou publicar outro. Realmente, alta costura é um luxo de se ver.

 

image

Na primeira foto de cara um vestido com pedras Svarovisk colados em forma diagonal.aliás muitos dos vestidos e looks estavam com cortes diagonais e muitas fendas.

Na parte esportiva, Donatella, fez um milagre com a moda dos anos 80/90 que foi uma das piores, consideradas pelos estilistas. E confesso que realmente era um horror. Aqui no esporte, metais, calças com cinturas baixa e até mesmo calcinhas à mostra. Muito tule,para ajudar na composição dos looks.

imageimage

 

imageimageimageimage

 

Bold e atitude vem marcando a nova coleção SS 2015. Um desfile que teve na primeira fila a super model, Heide Klum, em forma e belíssima, toda de Versace.

image

Vestidos de couro cortados a laser, saias, casacos e blusinhas com barriguinhas à mostra. Assim como uma itbag linda também cortada a laser. E uma linda bolsa branca, a Versace Palazzo Bag, também cortada a laser.

imageimageimageimage

 

Relógio com edicão limitada que provavelmente esgotou ao término do desfile.

Vestidos com prints caracteristicos da marca Versace também não foram esquecidos.
Donatella quis mostrar que linhas em looks são clean.

imageimage

 

image

Outro acessório que fez sucesso foi a sandália de salto alto transparente. Lembram dela? Donatella colocou no desfile e arrasou.

image

Para quem gosta dos looks da Donatella Versace foi o ponto alto de MFW.

imageimage

 

Inspirações Cruzadas na nova coleção da Dior

 

image

Ao chegar aos jardins do museu Rodin, em Paris, ninguém poderia imaginar o que se escondia dentro daquele imenso antiteatro construído, totalmente branco, marcado apenas com quatro letras: D.I.O.R. Parecia mais uma nave espacial nos jardins de Rodin, que por dentro foi decorado com cadeiras pretas Napoleão III, laqueadas, dispostas em círculos para acomodar os milhares de convidados, entre celebridades e editore das grandes revistas de moda.

image

O espaço totalmente iluminado, teve suas paredes recobertas de orquídeas brancas com pistilos violetas ou amarelos refletindo o infinito pelos espelhos. São flores totalmente estimadas pela Dior e com o objetivo de fazer os convidados viajarem por um universo de oito escalas, oito universos, oito épocas que foram revisitadas por Raf Simons, diretor artístico da Maison Dior.

image

O grupo de rock americano Sonic Youth, faziam as modelos desembarcarem por meio de diferentes portas de correr sobre uma passarela circular, que dava aos convidados a aparência de máquina do tempo, misturando o passado e o futuro da Maison.

Raf Simons queria dar aos convidados uma viagem a elegância, neste desfile da Christian Dior, outono/inverno de 2015. O criador de toda esta viagem queria que todos olhassem ao temo tempo para frente e para trás para preparar o futuro. Raf Simons se lançou em uma preparação do passado combinada a ideias extraídas de um futuro próximo, em busca do próprio sentido de modernidade no mundo atual da Alta Costura.

“O que me interessa é o processo que dá origem a uma ideia extremamente moderna com base bastante histórica; especialmente através da justaposição de diferentes temas, explica Raf Simons. As inspirações históricas não justificam por si só a coleção, nem fornecem todo o seu sentido. O que chamou minha atenção é a ideia de uma construção arquitetônica – uma atitude bastante Dior – e a forma pela qual cada época encontra seus alicerces em outra época, a forma pelo qual o futuro se serve do passado. É uma ideia que acho fascinante”.

imageimage

Uma explicação perfeita do diretor artístico da Dior, pois todos os alicerces que acontecem no presente e futuro são baseados no passado e as inspirações vem do passado. Lá é que se encontra a fortaleça e as transformações. A moda se transforma utilizando estes artifícios e se modifica a cada momento por causa deste passado forte que existe na moda, na história, na vida.

imageimage

imageimage

imageimage

imageimage

A extensão histórica começa com as influências do século XVII; no momento seguinte, mistura trajes de cortes femininos e masculinos do século XVIII, que sintetiza ao mesmo tempo as ideias emprestadas dos uniformes astronautas originadas nos dias de hoje. E o astronauta está simbolizado por Raf Simons como tema principal ao longo de toda a coleção e isto aparece nas make ups que foram feitas nas modelos.

Sequência do desfile

image

Ele foi construído da seguinte forma: Vestido à la française, uma variação em torno dos tradicionais vestidos do século XVIII, uma mistura de estilos estruturadas principalmente em torno dos vestidos usados sobrepaniers, atenuados no desfile por novas armações de tule.

Voo à la fraçaise, na qual os conjuntos de piloto se deparam com vestidos tradicionais, e os corpetes e os bordados, modernizados, misturam fecho de zípere tafetá de seda.

1910 linear: longos casacos com curvas sinuosas, de inspiração eduardiana, viagem por meio da história. O corpete encontra casaco, numa transposição de detalhes técnicos: os corpetes tornam-se saias, os casacos blusas smocks.

Casacos justacorps e coletes: casacos de corte do século XVIII, adaptados ao corpo feminino. 1920 liberto: a linha melindrosa dos anos de 1920, reinventada em bordado. O colarinho encontra o Bar: os arquivos Dior naquilo que têm de mais abstrato e mais geométrico, com volumes e formas despojados, inspirados nos anos de 1950, destacando a pureza arquitetônica das criações da Maison Dior.

Técnicas, plissados e sistemas: uma abordagem decorativa, na qual tradição e tecnologia se aliam: o debruado estiliza, em plissado técnico, os detalhes dos conjuntos dos astronautas.

Nas fotos abaixo de todos o desfile, vocês vão conseguir viajar pelo trabalho artístico de Raf Simons. Este desfile, esta linda coleção leva os ateliês de Alta Costura aos seus limites máximos. com novos modos de aplicação das técnicas tradicionais. Esta nova técnica leva a desenvolver novos conhecimentos.

Alguns bordados usados na nova coleção são originados dos trajes masculinos do século XVIII, especialmente os usados em mantos reais, se renovando completamente em franjas de resina, ou ainda, cobrindo um vestido estilo melindrosa contemporâneo.

“Eu comecei me perguntando: o que é a modernidade? Eu queria partir de uma linguagem que fosse exatamente o oposto daquela que eu tive então na Dior, explica Raf Simons. A Ideia era confrontar as diferentes visões que as pessoas têm hoje em dia sobre a estética moderna – me parecia mais contemporâneo ir em direção a um passado distante do que modernizar o espírito das últimas décadas. O desafio era colocar uma atitude contemporânea em algo bastante histórico, dar simplicidade e descontração e algo que poderia ser teatral. É a atitude que conta.”

O que se avalia desta nova coleção são looks maravilhosos e que em sua maioria podemos usar no dia a dia e no trabalho, em festas, jantares. Looks inspirados no passado e que trazem um futuro incrível de roupas que olhamos e nos vemos dentro deles.

Cores

As cores mais usadas foram pastel, creme, verde celadon, rosa suave dando o tom delicado que quase tendia ao branco. A medida que as modelos desfilavam com suas mãos escorrendo para dentro dos bolsos de seus vestidos, a suntuosidade de Versalhes parecia reencontrar uma descontração refinada. Os saltos no tempo aconteciam e eram percebidos, do século XVII ao XXI. Todas as modelos e os convidados eram guiados para uma caminhada confiante. Em seus longos mantos eduardianos de caxemira ou pele sintética, quase varrendo o chão, as modelos exploravam novos horizontes cromáticos: os pastéis suaves davam lugar aos tons livres até aparecer fendas nos tecidos escuros, as pernas de suas calças, como flashes, de fúcsia, verde esmeralda ou vermelho vivo.

Make Up

imageimage

O Make up foi um trabalho à parte feito pelo diretor de criação de imagem da maquiagem Dior, Peter Philips, que levou a mulher a dois universos, duas temporalidades. o delineador metálico, , com uma maquiagem natural e pura do restante do rosto, dava um olhar visionário a nova coleção de Raf Simons. As sombras era amarela ou branca para realçar o toque futurista. O leve blush cor de rosa nas maçãs do rosto e boca nude complementavam a naturalidade.

As modelos usaram a linha Dior de Maquiagem que são:

Face

  • Pore minimizer
  • Skinflash
  • Diorskin Star Foundation
  • DiorBlush Starlight 421
  • Diornlush Rose corolle 881

Olhos

  • Backstage Eye Prime
  • Palette 5 couleurs Candy choc 676
  • Crayons Sourcils poudre
  • Crayoun khol white 007
  • Mirror Eyes (patch liner silver)

Lábios

  • Lip Maximizer

São inspirações cruzadas de uma coleção que impactou Paris e deixou os Jardins de Rodin mis floridos.

image

Faça agora sua viagem pela criação de Christian Dior por Raf Simons.

imageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimageimage

MET – um baile de gala dos horrores

 

O baile de gala do MET (Metropolitam Museum) é realizado todo ano, em NY, com a presença de grandes celebridades e ricaços dos EUA, que desfilam no tapete vermelho!

Este ano, foi o baile dos horrores para as mulheres que exageraram nos vestidos! Difícil escolher qual o pior. Só encontrei três bem vestidas. A brasileira Gisele Budchen, a estilista Vera Wang e a atriz Charlize Theron. Esta última sempre elegante.

imageimage

Gisele estava vestindo um Balenciaga e Theron, um no estilo Charles James que foi tema de inauguração da exposição do museu. A estilista Vera Wang foi com om um vestido elaborado por ela mesma homenageando Charles James.

A ex-Spice Girl, Victoria Principal Beckham, estava com um vestido de sua própria grife, mas parecia um lençol branco dobrado na parte de cima e o restante enrolado ao corpo.

image

Outra que foi primor de exagero: Karolina Kurkova, que vestia um Marchesa Fashion.

imageimage

E uma das piores também foi a querida atriz Sarah Jessica Parker, a Carrie de Sex and The City. Ela vestia um pavoroso Oscar de la Renta, famoso por seus lindos vestidos, mas fez um pavoroso para a atriz , que ainda ostentava um penteado dos horrores! Estranho é que Jessica sempre foi um primor de elegância e um ícone da moda!

image
Sim, muitas vezes os estilistas erram feio e Karolina parecia um vaso Ming de flores azuis, ou sei lá o que!
Vejam que festival horroroso que foi este baile!

 

imageimage

 

Giorgio Armani – paixão de infância

 

image

Nem sei dizer quando me apaixonei pelo estilista Giorgio Armani. Nem me lembro qual foi o primeiro desfile dele que assisti. O que posso dizer que foi paixão à primeira vista. As roupas deste estilista italiano, com nome bonito e de cabelos de algodão, me encantaram loucamente! Seus desfiles encantam a minha alma. Fico deslumbrada observando cada detalhe dos vestidos de luxo ou para o dia a dia. São perfeitos!

Para mim, Armani é sinônimo de elegância, charme, perfeição, encanto, corte perfeito nos ternos e roupas enlouquecedoras para as mulheres, valorizando-as de uma forma que palavras não descrevem. Celebridades masculinas e femininas o idolatram. Sempre uma indicada ou indicado ao prêmio principal do Oscar, veste Armani. Este ano, foi a atriz Cate Blanchet, que também representa a marca do novo perfume Sì. Nicole Kidman já vestiu vários vestidos Armani e fez ensaios fotográficos com a grife. Gabriel Byrne, ator irlandês disse uma vez ter representado no cinema o demônio mais bem vestido do mundo. Ele em Fim dos Dias, vestiu terno e coat Armani. Um luxo! Depois, o ator ganhou o traje. George Clooney, Russel Crowe e Kevin Spacey, que está fazendo super sucesso com a série House of Cards, na Netflix, não dispensam ternos Armani.

image

imageimage

Por sinal, perfumes são produtos deliciosos que carregam a marca. Meu perfume é um Armani. Primeiro foi Acqua di Dió feminino, levíssimo. Depois descobri o delicioso Armani Mania Masculino e nunca mais deixei de usar! Tem um toque leve, cítrico, sem exagero. Aproximadamente 15 anos que uso este perfume!

Armani hoje tem um império, com maquiagens, perfumes, óculos lindíssimos, sapatos masculinos e femininos, bolsas. Tudo que se possa imaginar para a grife, que carrega o nome deste italiano que criou roupas divinas e ternos perfeitos.

Suas produções são dividas em diversas linhas:

Armani Casa
Armani Alta Moda
Borgonuovo 21
Giorgio Armani
Le Collezioni
Mani
Emporio Armani (público jovem)
A/X Armani Exchange (moda básica)
Giorgio Armani U.S.A. (preços mais acessíveis)
Armani Jeans
Armani Neve (linha esportiva, inverno)
Armani Golf (linha esportiva)
Clássico
História

image

Nascido na Emília-Romanha, norte da Itália (ao sul de Milão), Giorgio Armani estabeleceu um novo padrão na moda feminina. Insipirou sua linha feminina em trajes comumente masculinos, no entanto, desenvolvendo acabamentos, tecidos e corte que privilegiavam as formas femininas.

Freqüentou a faculdade de medicina por dois anos. Após completar suas obrigações militares, em 1957, trabalhou em uma loja de departamentos chamada La Rinascente, como um decorador de vitrines, iniciando-se, então, no mundo da moda.

De 1961 a 1970, estabeleceu uma união com Nino Cerruti construindo a sua carreira como designer (estilista). Encorajado pelo seu amigo, Sergio Galeotti, lançou em 1974, sua primeira coleção masculina, elevando o seu nome. Gradativamente começou a adaptar as suas criações para a linha feminina, lançando a sua primeira coleção, em 1975, em parceria com Galeotti. A modelo oficial da Giorgio Armani é a atriz e cantora Michelle Pfeiffer, inclusive o estilista, está com um desfile especial desde 2007 com o tema de Super-Heróis e a principal personagem é a vilã de Batman em 1992 a Mulher-Gato interpretada pela atriz. Como é de se imaginar assim como no filme, a Mulher-Gato da Armani rouba a cena nas passarelas.

Empório Armani, grife criada por ele, tem uma linha de alta qualidade em roupas de luxo de moda e de discussão sobre as tendências e características modernas. Em janeiro de 2010, o famoso jogador de futebol, Cristiano Ronaldo, e a estrela de cinema de Hollywood, Megan Fox, se tornaram o rosto masculino e feminino da Empório Armani, que se uniu com a Reebok para criar sapatos da moda sob o rótulo chamado EA7. Esta coleção de outono contará com a estrela do pop, Rihanna. É a única linha de Giorgio Armani que é projetado principalmente por Giorgio Armani, e tem uma cena na semana de moda de Milão a cada ano, enquanto Armani Collezioni, Armani Jeans e Armani Exchange não.
Armani Jeans é uma coleção relacionada com roupas criadas em 1981 por Giorgio Armani. Vendida em lojas de departamento, embora tenha 15 lojas independentes no mundo, além de um Jeans Armani Café em Milão. Alguns itens Armani Jeans são vendidos em lojas Empório Armani.

image

 

Maquiagem

 

imageimageimage

Sunglass

image

 

Desfiles, Celebridades, Acessórios

imageimage

imageimage

imageimage

imageimage

imageimage

image