Nem Tiazinha e nem vovó

image

É pessoal, o calor parece que não vai embora tão cedo e acima dos Trópicos o inverno está castigando alguns amigos nossos que moram nos Estados Unidos e Europa. Inveja pouca é bobagem e falta pouco para as coleções de inverno serem apresentadas nas revistas com as suas tendências de cores.

Bem, enquanto o calor infernal não vai embora, as cores claras estão em alta, pois quem aguenta sair com um pretinho básico neste verão?

Para quem pode aproveitar as praias e as piscinas, Conversas de Salão mostra alguns maiôs que antes eram usados pelas gordinhas ou cheinhas, como preferirem, e atualmente são queridinhas de estrelas brasileiras e de Hollywood.

Confesso que sempre gostei mais de maiôs ou sunquínis. Mesmo quando tinha um corpo legal, entrava sempre nas lojas atraída por eles! Acho que a única vez que usei biquíni foi aos 3 aos de idade, porque tenho uma foto na praia de biquíni de oncinha. Abafa, o caso! rs

O que está acontecendo tem algum tempo é uma mudança de hábito. Os maiôs que antes eram renegados – e foi por muitas temporadas, por ser considerado roupas para vovós irem a praia -, está ganhando passe livre nas praias de todo o mundo, mesmo para aquelas mulheres que não abrem mão de um sol escaldante.  Quero lembrar que, muitas vovós de hoje, estão usando biquínis bem pequenos por estarem ainda bem jovens.

imageEles ganharam traços elegantes, cores vibrantes e estampas coloridos. Até os engana mamãe, estão de volta com força toltal. Rihanna, a modelo Adriana Ambrósio, Giovanna Antonelli, são algumas das que aderiram ao maiô total ou ao sunquíni, hot pants e tops de alças largas. Um modo vintage de ser, em que as mulheres estão aderindo para ficarem elegantes, combinando com shortinhos, pareôs, chapéus, sandálias, bolsas de palha, entre outros acessórios. Ficar esticada em uma cadeira, empapada de óleo para se brozear acabou. Agora a moda é ficar bebericando com os amigos, conversando e se protegendo em uma sombra. Um mergulho aqui e ali no mar ou na piscina e acabou.

A moda beachwear brasileia é valorizada no mundo inteiro e acredito que nós ditamos a moda para ser apresentada em desfiles no exterior e os estilistas de lá tiram suas ideias.

O maiô deixou de ser uma peça de fundo de armário, para quem não tinha corpo para usar biquínis e hoje, são olhados como valorizadores de corpos. Mas saiba escolher bem o seu maiô, tem alguns que mostram bem as barriguinhas, aqueles que são franzidos bem no abdômen.

Maiôs são peças de elegância e glamour. Hoje são bem mais elaboradas do que as de antigamente. Confesso que sempre usei o pretinho básico e não encontrava muitas opções. Eram feitos de elastano e com cara de maiô de natação. Quando entro em uma loja beachwear, já é possível encontrar vários modelos e com variedades  de tecidos.

Veja alguns looks super bonitos e escolha o seu. Ainda dá tempo! São Pedro não está querendo arrumar a casa tão cedo. E chuvas não vamos ver neste verão. Pelo menos é a previsão! Agora, não esquece de se proteger dos raios UVA/UVB, com um bom filtro solar, beba muita água e curta este calorão dos infernos! Mergulhe de dia ou de noite como estão fazendo muitos cariocas para refrescar.

Hot pants para magrinhas e Plus Size:

hotpant6_500x37610177-MLB20025507238_122013-Ysunquini-plus-size-carla_MLB-O-4419576697_062013

www-polyvore-com-screen-capture-2010-8-26-14-28-18.png w=364

Sunquínis

conjunto-sunquini-poa-preto-branco-vacanze_107615_301_1sunquini

Maiôs Engana mamãe

imageimage

imageimageimage

Maiôs e Hot Pant para magras e plus size

imageimageimage

imageimageimage

imageimageimage

image

#Novidade – Bronzeado Prolongado

20_57_09_184_214664_002_Bnr_Central_622x517_pixel_1

Férias, muito sol, verão forte, praias lindas por todo o litoral brasileiro. Convite para relaxar e pegar aquele bronzeado que o inverno tirou. Bem tirava! O Empório Body Store acaba de lançar como produto de edição limitada uma linha para prolongar o bronzeado e manter a cor da sua pele por mais tempo. Qual a mulher que não deseja ter o seu bronzeado prolongado? Esta linha contém ingredientes que misturam cenoura, beterraba e urucum e estão em sabonetes óleos e loção. Produtos deliciosos e com fragrâncias irresistíveis, refrescantes e cítricas.

17_41_14_707_Untitled_drawing_2_

O Óleo de Cenoura Pré-Bronzeado

É rico em carotenos e possui bio-tanning, que ativam a produção de melanina, preparando a sua pele para o sol e acelerando o bronzeado. Para usar agite e aplique em todo o corpo, exceto no rosto, durante ou após o banho. O Óleo de Cenoura não deve ser aplicado para exposição da pele ao sol. Custa R$ 54,9

16_42_42_917_Sabonete_Prolongador1Sabonete Prolongador de Bronzeado

Para ser usado diariamente após um dia de sol. O sabonete auxilia na manutenção da cor, além de ter uma fragrância inconfundível e ser super hidratante.  Custa R$ 15,90

16_52_19_633_2904

Loção Prolongadora do Bronzeado

Mantém a pele hidratada e bem cuidada também é um desafio quando os termômetros estão altos e a gente só quer saber de ficar dentro do mar ou na piscina. Pensando nisso, o Empório Body Store criou a Loção corporal Prolongadora do Bronzeado. O potinho ecusta R$ 39,90. 18_29_06_683_Untitled_drawing_7_

 

O Empório Body Store também está disponibilizando o kit, em edição limitada com sabonete e loção e você poderá comprá-lo por R$ 69,90. Uma novidade que as mulheres estavam esperando, pois manter o bronzeado é uma tarefa inglória. Certamente com estes ingredientes de beterraba, cenoura e urucum, o bronzeado permanecerá prolongado e a pele hidratada poderá evitar aquele descascado horrendo que muitos conseguimos depois de longos dias de praia e muito sol. Então, não perca esta chance! Uma linha refrescante e saudável que ainda mantém aquela cor conquistada? Imperdível!

Você poderá encontrar estes produtos não somente nas lojas, mas também comprá-los pelo site do Empório Body Store: http://www.emporiobodystore.com.br

#dica 3 – Plásticos elegantes e confortáveis

Quem disse que sandália de plástico não pode ser elegante? Eu tenho uma amiga jornalista de cinema e que está sempre viajando pelo mundo para os grandes festivais que usa sempre  nos pés confortáveis sandálias de plástico do Clube Melissa, pois deve ir de uma coletiva para outra para entrevistar os maiores artistas do cinema do mundo.

O Clube Melissa tem sempre bons lançamentos e eu acabei de adquirir uma sandália de salto alto e duas rasteirinhas que deixam qualquer pessoa elegante. Basta fazer as combinações certas.

A de salto alto que você vê na foto tem um belo laço e eu, como sou apaixonado por um pretinho básico, não resisti. Mas, você poderá encontrar na loja na cor salmão bem clarinho ou um rosinha clarinho, preto e bege com laço preto. Está sandália custando R$ 129,00. O preço achei um pouco salgado, mas são confortáveis e são duráveis.

Já as sandálias rasteirinhas, podem ser usadas com shortinhos, vestidos longos ou curtos, na praia, calça jeans com regatas e estão no valor de R$ 53,00. São charmosas e tem em outras cores, principalmente a de coração, como coral, branca e azul.

As sandálias I love Me também existem em outras cores e são super charmosas para qualquer ocasião. São sandálias chiques e que deixam qualquer mulher com visual casual, porém elegante.

Acesse o Clube Melissa através: www.clubemelissa.com

Um castigo perfeito

Por que quando nascemos e crescemos aprendemos a NÃO escutar os nossos pais e principalmente, nossas mães? Sabe aquela frase que “mãe sabe de tudo e sempre tem razão”? Pois é! Fui descobrir que era verdade aos oito anos de idade.

Nós deveríamos nascer com um botão de obedecer e escutar sempre as mães, pois saiba: íamos nos dar bem! O que aconteceu? Eu que havia descoberto a beleza de tratar os cabelos no auge dos meus seis anos de idade, amar Salões de Beleza, e ainda, achar aquilo tudo uma festa, um belo dia desmoronou por pura teimosia.

Ir a praia era e ainda é, um passeio maravilhoso no verão para os cariocas. Meus pais sempre adoraram praia. Nada de farofada. Praia e depois um bom restaurante. Eu, meus oito anos já estava com cabelos longos, na cintura. Tinha o maior orgulho deles. Mas antes de entrar no carro e seguir para a praia, ganhei duas tranças bem feitas pela minha mãe no estilo Índia Americana, e uma recomendação expressa: “nada de rolar na areia mocinha!”.

A princesinha aqui, fez tudo ao contrário. Foi o mesmo que dizer: “role na areia mocinha!” Rolei como uma pobre criança que nunca viu o mar. Uma esbórnia! Fiquei um verdadeiro bife à milanesa, desde os pés até os longos cabelos. Uma vergonha, para uma mãe que é uma dama e em tudo. Ela por sua vez nada dizia. Somente de sua cadeira, tomava conta de mim, com os olhos semicerrados, como quem me avisava que em casa eu teria grandes problemas.

Não deu outra. No banho, quem disse que ela conseguia desembaraçar meus longos cabelos bem cuidados e desfazer as tranças cheias de areia? Minha mãe não teve conversa! Me arrumou e me levou ao Salão mais caro da Zona Norte de Niterói, onde nós morávamos e pediu a cabeleireira que cortasse meus cabelos.

 De olhos arregalados, no meio daquele Salão todo de madeira escura eu me olhei desesperada no espelho e vi a tesoura cortar bem rente a primeira trança e depois a segunda. O cabelo claro que ficou disforme. A cabelereira perguntou: “Qual o corte agora?”. Minha mãe respondeu sem hesitar: Elis Regina! 

 Vocês conseguem imaginar o meu estado de choque imediato e permanente? Acho que aquele corte foi traumatizante até para nossa famosa cantora. Era horrível, tenebroso, apavorante. Foi um pesadelo! Eu nem me mexia na cadeira. Só via as longas tranças nas mãos de minha mãe e o restante que sobrou em minha cabeça caindo no chão.

Quando tudo terminou, não havia shampoos bacanas, óleos ou máscaras e muito menos escovas que deixassem os cabelos perfeitos, como hoje em dia existem para um corte deste tipo. Era toca, rolinhos para cabelos e aquele secador horroroso da foto do post anterior.

Claro que cheguei chorando em casa. Eu era gordinha, baixinha e com um cabelo horrendo. Nem conseguia ver Elis Regina na TV e muito menos ouvir seus discos, pois me vinha sempre em mente a figura dela com os cabelos iguais aos meus. Meu pai quando me viu, quase desmaiou de susto e perguntou por que minha mãe havia feito aquilo? Um verdadeiro estrago! Só lembro minha mãe dizendo: “A culpa foi de sua filha, eu avisei!”.

Meu lindo cabelo repousava dentro de um saco e meses depois apareceu lisinho em forma de peruca, usado lindamente por minha mãe em festas e aniversários como aplique. Ele ficou longo. Até abaixo do pescoço. Meu cabelo virou um aplique!!!

Eu, é claro, fiquei traumatizada. Tenho fotos, mas impublicáveis (rs). Qual a mulher que fica bonita com este corte? Acho que são poucas e eu não era uma delas. Ainda mais na década de 70. Hoje com os tratamentos de cabelos eles ficam perfeitos em muitas mulheres. Lembro que naquela época, o cabelo ficava duro e enrolado. Eu ODIAVAAAAAA! Que castigo eu tinha recebido! Confesso que não me lembro do dia que fui para a escola. Acho que foi tão traumático que apaguei da memória. Melhor assim!

Quanto ao aplique, depois de anos, ele foi usado para uma justa causa e fico orgulhosa de ter contribuído para isto. Ajudou na recuperação de minha Tia materna, cunhada de minha mãe, que teve um tumor no cérebro e raspou todo o cabelo. Ela usava o aplique com um lenço na frente. Ficava muito bonita.

Com o tempo, meus cabelos cresceram, novidades foram aparecendo. Como o Neutrox para banho e praia (rs), escovas redondas, tocas, truques e mais truques que eu e minhas amigas trocávamos. Usar óleo Johnson não somente no corpo, mas também nos cabelos, passá-los com ferro elétrico para deixá-los lisinhos, etc. Maluquices que hoje nunca faria. Mas que deixaram lembranças maravilhosas.

E o aplique ele ainda existe? Não! Meus lindos cabelos em aplique desapareceram com o tempo. Sei lá onde ele foi parar. Minha Tia não se lembra. Era o único material prova viva com a cor natural de meus cabelos. Como ele realmente era.

E a lição aprendida: Nunca mais desobedecer minha mãe e saber observar seus sinais e escutar muito bem seus conselhos. Não posso culpar o Salão de Beleza e sim, a minha teimosia. Voltei a amar os salões e a frequentá-los. E é claro, se a tivesse escutado não teria uma foto infame em preto e branco, de minha persona, com os cabelos tipo Elis Regina, segurando uma florzinha em um álbum de família. (rs)

Só me restou aprender com a Elis o que ela canta nesta música: